Minha História

Eu nasci prematura aos 6 meses de gestação, com uma série de problemas de saúde que acarretaram minha deficiência como por exemplo, paralisia cerebral, cegueira, infratos e convulsões consecutivas. Mas se comparadas ao quadro atual, as sequelas são quase nulas.

Minha infância e adolescência foram como a da maioria das pessoas. Com o detalhe de que sempre me destaquei entre os colegas de classe pela minha performance em sala de aula. O ápice foi quando aos 19 anos, consegui meu primeiro emprego e lá aprendi a me comunicar melhor, perder a timidez, interagir com as pessoas. Tanto é que alguns colegas do meu setor me apelidaram de “relações públicas”. Afinal eu estava sempre sorrindo, brincando e fazia amizade com todos. Assim, me tornei muito querida lá, todos gostavam muito de mim.

Diante disso e da necessidade, ganhei minha primeira cadeira de rodas motorizada. Essa cadeira foi um presente dos então colegas de trabalho, devido ao fato de eu precisar de um acompanhante (meu pai, familiares e os então colegas que faziam o trajeto parecido) para ir e voltar do trabalho com uma cadeira de rodas manual.

O trajeto era feito com o total de 6 ônibus por dia, sendo 3 na ida e mais 3 na volta. E o tempo gasto em média era de 2 a 3 horas para ir e mais esse tempo para voltar, ou seja, totalizando somente o deslocamento gastava em torno de 5 horas.

Passava bastante “aperto” em dias de chuva e a galera, vendo toda essa dificuldade, se reuniu e cerca de 300 pessoas contrubuiram para a compra da minha cadeira de roda.

A partir daí alcancei uma maior liberdade de locomoção e pude sair mais de casa, conhecer novas pessoas e locais.

Efetivamente realizei sonhos por meio dessa independência para me locomover. Sobretudo realizei duas viagens maravilhosas simplesmente sozinha. Um outra grande vitória para mim.

Tentei me graduar e cursar inglês, mas por questões financeiras não dei continuidade. e assim segui até que em junho de 2017 eu fui desligada do meu emprego e isso me representou uma grande